Vídeo mostra GCM sendo agredido por Policial Militar no interior do Ceará

Um vídeo que está circulando nas redes sociais, mostra um atrito entre um Guarda Civil Municipal sendo agredido fisicamente com chutes por um Policial Militar.

O fato ocorreu no interior do Ceará no último sábado 25/04/2020 por volta das 08h00min ao assumir o serviço de IRSO, a composição da VTR 7362 recebeu uma determinação para dar um apoio ao SD MOURÃO no distrito de Livramento, zona Rural da cidade de Ipueiras.

Ao chegar no local foi verificado que o SD MOURÃO estava com um Guarda Municipal, AGENTE BARROS, conhecido popularmente como “Juquinha“, Juan Barros, o mesmo é da cidade de Pedra Branca no sertão central cearense e trabalha na cidade de Tianguá como Polícia Municipal e cursa Direito naquela cidade.

Nossa redação CORREIO NEWS, entrou em contato com o AGENTE BARROS, que nos contou onde o mesmo se dirigia para uma localidade denominada Pedra Branca, zona rural do município de Ararendá, e ao passar por um caminho até então desconhecido, resolveu parar em outra comunidade, distrito de Livramento, para pedir Informações a respeito do seu trajeto, foi quando avistou um rapaz vestido com uma gandola do exército sentado em uma calçada, o AGENTE BARROS resolveu parar sua motocicleta para lhe pedir Informações a respeito daquele caminho.

Ao se aproximar do rapaz, onde o mesmo viu que o AGENTE estava fardado e armado, o rapaz trata-se de um Policial Militar, SD MOURÃO, se levantou da calçada, apontou sua arma, uma pistola .40 em direção do AGENTE e deu voz de prisão alegando que o AGENTE estava lhe constrangendo, que o mesmo teria ido até alí, em seu distrito para lhe constranger.

A partir daí o Policial Militar, passou a dizer palavrões com o AGENTE, chamando de: “Jumento, vagabundo, filho da puta”, proferindo diversas palavras ao AGENTE, depois disso passou a lhes dar chutes e pontapés. O AGENTE BARROS se manteve calmo apesar das agressões físicas e verbais sofridas pelo Policial Militar, como mostra um vídeo que o AGENTE registrou. O AGENTE BARROS notou que provavelmente o Policial Militar teria ingerido algum tipo de bebida alcoólica, pois o AGENTE afirma que aparentava sinais visíveis, pois o odor etílico era bem perceptível de bebida toda vez que o Policial Militar se aproximava e também notou o seu comportamento bastante alterado.


O Policial Militar alegou que o AGENTE estaria preso pelo o mesmo, pois um Guarda Civil Municipal não poderia portar arma de fogo, dizendo que o AGENTE teria se dirigido para aquela comunidade Livramento para afronta-lo, foi o que o Policial Militar informou na delegacia, repassou a informação que o Guarda estaria constrangendo populares naquele distrito com uma arma de fogo, PT 838C Taurus calibre 380 Com dez munições intactas, e se dizendo ser Policial.

Uma pessoa que teve o seu nome preservado em uma conversa relatou para o AGENTE BARROS, como é de fato a conduta e postura do Polícia Militar SD MOURÃO naquela região, como mostra prints da conversa:

Após apreciar a ocorrência foi constatado pelo Delegado Plantonista uma Liminar de 2018 do STF em ação direta(ADI) inconstitucional do estatuto do desamamento que ampara os Guardas Municipais portar armas fogo no horário de trabalho bem como na sua folga, Vindo a Arma a ficar aprendida temporariamente para melhor análise da documentação. Foi lavrado um B.O que registra Todo fato. Toda ocorrência foi acompanhada IN LOCO PELO OFICIAL DE DIA TENENTE M NETO E FISCAL DE POLICIAMENTO SUBTENENTE CARVALHO.

Ainda segundo Informações, o Polícial Militar SD MOURÃO, irá responder por crime militar.

Redação Di Carvalho CORREIO NEWS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *