Sertão Central não avançará para Fase 2 por precaução, Pedra Branca na lista

As macrorregiões do Sertão Central, Litoral Leste e Jaguaribe não avançarão para a Fase 2 do Plano de Retomada das Atividades Econômicas e Comportamentais do Governo do Ceará. O anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana (PT) na tarde desta sexta-feira, 17.

Segundo o gestor estadual, a medida se deve pelos atuais indicadores de saúde das macrorregiões.

A decisão impacta diretamente 40 municípios que compõem as duas macrorregiões, devendo permanecer fechados todos os seguintes segmentos:

  • Comunicação, publicidade e editoração (Agências de publicidade, marketing, edição e design);
  • Indústrias e serviços de apoio (Organizações associativas, contabilidade, direito e serviços de apoio administrativo);
  • Tecnologia da Informação (Consultoria em TIC, software house, assistência técnica);
  • Assistência social (Defesa de direitos sociais e serviços de assistência social sem alojamento);
  • Alimentação fora do lar (Restaurantes das 9h às 16 horas);
  • Atividades religiosas (Celebrações religiosas com 20% de capacidade);
  • Esporte, cultura e lazer (Aluguéis de equipamentos).

O novo decreto, que traz as medidas anunciadas por Camilo, será publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) e entrará em vigor na próxima segunda-feira, 20.

Municípios afetados

Confira as cidades que não avançarão de etapa no Plano de Retomada:

SERTÃO CENTRAL

Quixadá, Canindé, Quixeramobim, Itatira, Tauá, Ibicuitinga, Banabuiú, Caridade, Madalena, Choró, Parambu, Boa Viagem, Solonópole, Paramoti, Milhã, Pedra Branca, Senador Pompeu, Ibaretama, Arneiroz e Aiuaba.

LESTE/JAGUARIBE

Russas, Morada Nova, Aracati, Limoeiro do Norte, Tabuleiro do Norte, Jaguaruana, Jaguaribe, Quixeré, Icapuí, Jaguaribara, Itaiçaba, Jaguaretama, São João do Jaguaribe, Alto Santo, Fortim, Iracema, Ererê, Palhano, Pereiro e Potiretama.

O que pode continuar funcionando

Confira quais segmentos poderão continuar funcionando, autorizados pela Fase 1 do Plano de Retomada, somente com 40% do trabalho presencial:

  • Indústria química e correlatos (Indústria de químicos inorgânicos, plásticos, borracha, solventes, celulose e papel|);
  • Artigos de couros e calçados (Indústria e comércio);
  • Cadeia metalmecânica e afins (Fabricação de ferramentas, máquinas, tubos de aço, usinagem, tornearia e solda e comércio atacadista);
  • Saneamento e reciclagem (Recuperação de materiais);
  • Cadeia energia elétrica (Construção para barragens e estações de energia elétrica, geradores);
  • Cadeia da construção (Até 100 operações por obra, cadeia produtiva com 40%);
  • Têxteis e roupas (Indústria e comércio);
  • Comunicação, publicidade e editoração (Comércio de livros e revistas);
  • Indústria e serviços de apoio (Comércio de artigos de escritório, serviços de manutenção, contabilidade, auditoria e direito);
  • Artigos do lar (Indústria e comércio);
  • Cadeia agropecuária (comercialização de flores e plantas, couros);
  • Cadeia moveleira (Indústria e comércio);
  • Tecnologia da informação (Industria e comércio);
  • Logística e transporte (Comércio de bicicletas);
  • Cadeia automotiva (Indústria, comércio e serviços);
  • Comércio de outros produtos (Comércio de saneantes, livraria, brechós, papelarias, doces e caixões);
  • Comércio e serviços de higiene e limpeza (Comércio de higiene e cosméticos);
  • Esporte, cultura e lazer (Fabricação e comércio de aparelhos esportivos, instrumentos e brinquedos).

Foto: Vando Carlos

Repórter Ceará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *